Jeverson_edited.jpg

O que são e como são usados os tambores xamânicos:

Jeverson Reichow

Os tambores xamânicos existem há pelo menos 40 mil anos em todas as culturas tradicionais do planeta.
O Tambor está associado a direção Sul, ao arquétipo do Curador, ao elemento Terra, as criaturas de Quatro Patas e com a qualidade da Cura. O tambor é utilizado para produzir diversos tipos de ritmos com finalidades diferenciadas que vão desde a música para a celebração e dança até o toque constante que leva ao transe profundo ou ao frenesi coletivo.

Logo.jpeg

Muitos xamãs usam seu tambor para realizar diversos tipos de cura, como o resgate de uma alma perdida ou sair viajando por outras dimensões do ser em busca de visões e conhecimento.

Sabe-se hoje, graças à pesquisas com biofeedback e com o uso do EEG que o toque constante do tambor induz no cérebro, por ressonância, uma frequência de ondas semelhantes, levando a pessoa a um estado alterado de consciência. Durante as experiências são comuns as visões de Animais de Poder, Aliados Espirituais ou outras visões de poder ou de cura. O uso do tambor proporciona que a pessoa conecte as batidas de seu coração com as batidas do coração da Mãe Terra, gerando um sentimento de profunda conexão com o planeta. Além disso o tambor é conhecido como "o cavalo ", pois assim como o cavalo leva o cavaleiro por suas jornadas, o tambor é que leva a consciência do xamã por suas jornadas espirituais, proporcionando um meio seguro de ida para outras dimensões e de retorno para o corpo físico. O som do tambor facilita a conexão de qualquer pessoa com o seu mundo interior e com todos os ritmos de seu corpo, produzindo um estado de relaxamento, de equilíbrio e ampliação de consciência, proporcionando assim uma conexão e harmonização com os ritmos planetários e cósmicos.